clasped-hands-541849_1920

Direitos Humanos na redação do ENEM

Carla Gobb Dicas de Redação

Os direitos humanos são garantias inerentes a todo ser humano, independente de raça, sexo, religião, nacionalidade, gênero ou qualquer outra condição.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) foi adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 10 de dezembro de 1948.  Impressionados com a tragédia da Segunda Guerra Mundial, os dirigentes das nações, que surgiram como potências no pós-guerra, estabeleceram uma base para construir um mundo com novos fundamentos ideológicos. A ideia era evitar guerras, promover a paz e a democracia e, principalmente, fortalecer os direitos humanos. A DUDH é o documento mais traduzido do mundo e serviu de inspiração para a criação de constituições de muitos Estados e democracias recentes.

No Brasil, a Constituição da República promulgada em 1988, é a lei suprema do país, e nela consta os fundamentos da República e os direitos e garantias fundamentais. Os princípios fundamentais, por exemplo, são: soberania, cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Já os direitos e garantias fundamentais, contidas no artigo 5º, diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

Para ler a Constituição Brasileira na íntegra clique aqui.

Mas porque precisamos saber tudo isso?

Teoricamente já deveríamos saber disso, não é mesmo? Afinal, respeitar os direitos humanos é dever de todos nós, enquanto cidadãos.

Mas a questão é: como isso será cobrado do estudante na prova de redação? O que será avaliado do candidato?

A quinta competência avaliada na prova de redação é a proposta de intervenção social para o problema abordado. A proposta deve respeitar os direitos humanos, caso contrário a redação é zerada. E, acreditem ou não, isso é muito frequente no exame.

O ENEM tem o costume de cobrar temas de cunho social articulado ao contexto brasileiro, portanto é esperado do candidato a apresentação de soluções para o problema. E ao propor soluções o candidato deve ficar atento para não violar nenhum direito e nem propor soluções desrespeitosas. Opiniões grosseiras, preconceituosas, xenofóbicas, por exemplo, não são aceitas! O estudante pode ter desenvolvido um excelente texto, mas se colocar elementos que ferem a cidadania e que sejam desrespeitosos ou intolerantes a redação será zerada.

Portanto, tenha muita atenção para não assumir um posicionamento inadequado diante do tema. Combinado?

Depois desse resumão do que fazer e do que não fazer, confira este vídeo sobre a história dos direitos humanos. 😉

E não deixe de treinar com os nossos temas de redação.

Bons estudos!

Vamos debater sobre?